quinta-feira, 26 de julho de 2012

Academia

Olá!

As Federais de todo o país estão paradas, em greve. Portanto, ultimamente não tenho ido à Ufes, a não ser para as reuniões da pesquisa do LabPC - que graças aos deuses não podem parar. Sendo assim, tenho passado uma boa parte do dia em casa, trabalhando, desenhando, lendo, estudando, e deixando minha mãe incomodada com minha presença!

Brincadeira, ela não está incomodada com isso... mas ficou preocupadíssima com minha saúde, pois me fez escolher entre ganhar uma vassoura - para limpar a casa todos os dias - ou entrar numa academia, a fim de combater meu sedentarismo forçado pela greve. Não que eu tenha algo contra varrer a casa, mas é que meu irmão já havia me convidado pra frequentar a academia com ele... afinal de contas, ir sozinho não tem muita graça. Quando se tem parceria pra fazer alguma coisa, uma pessoa puxa a outra e não tem tempo ruim. Resumindo, fui com meu irmão pro abate!

...é o que dá vontade de fazer lá!

Não sei o que acontece com os instrutores de academias, que todos acham que a gente entra lá pra ganhar peso e ficar fortão, com aqueles músculos grandes e medonhos, com veias saltando... ou então acham que todas as mulheres querem ficar com pernas e bundas enormes e desproporcionais. Só sei que o infeliz do instrutor marcou um monte de levantamentos de peso na minha ficha e eu não gostei disso. No segundo dia eu estava mortinha...

Eu sou feliz do jeito que sou, só quero poder fazer meus sei-lá-quantos minutos de atividades físicas diárias, sem sofrimento, pra ter boa saúde (e claro, ficar longe de casa enquanto o barulho rola solto na obra da casa do vizinho). Por esse motivo, resolvi ignorar todos aqueles pesos desnecessários e ficar no básico. Imaginem minha frustração ao descobrir que "voador invertido" não é o nome de um golpe maneiro!! =/

Esta semana já me sinto melhor porque não volto de lá dolorida, mas me sentindo bem. E acredito que o normal é se sentir bem após caminhar uns quilômetros na esteira... liberação de endorfina e talz (comer chocolate é uma maneira deliciosa de se sentir bem, mas esse argumento também não convence mãe de que  não precisamos de academia).

Acho que o recado deste post é: seja feliz e pratique atividades físicas regularmente, seja na academia, na praia, dentro de casa... mesmo contra sua vontade. Faz bem pra saúde. =)


Até a próxima! o/


sexta-feira, 13 de julho de 2012

Manuela

Anteontem recebemos em casa uma visita inesperada: uma fêmea de periquito amarela. Ela simplesmente entrou aqui e se escondeu num canto da casa... daí, meu pai a colocou numa gaiola e deixou bem claro pra mim que seria uma hospedagem temporária.

Mas eu já comprei um monte de coisas pra gaiola dela e dei nome! XD

Até! o/

sexta-feira, 6 de julho de 2012

Ordem de leitura e um pouco mais

Olá!
Estive um pouco distante do Cappuccino durante um tempo, pois estava trabalhando em uma história em quadrinhos sobre Design Computacional - que deve ser publicada daqui a algum tempo no blog de Quadrinhos

Hoje o Cappuccino vai ser sobre ordem de leitura e sua importância para o desenvolvimento de uma página de quadrinhos, ou tirinha, charge, etc. Acredito que esse assunto seja importante para aqueles que queiram desenvolver suas próprias histórias algum dia, seja ela no sentido oriental ou ocidental.

Sentido de leitura oriental
É o sentido de leitura dos mangás - quadrinhos japoneses¹ -, da direita para a esquerda, de cima para baixo;

Página de Naruto - Masashi Kishimoto

A leitura no oriente é feita assim porque essa é a ordem do desenrolar de um pergaminho, e até hoje - embora as publicações tenham o formato de livro europeu que conhecemos, com páginas e capa - essa ordem de leitura permanece. Não a toa os mangás publicados no Brasil mantém tal característica. Ahhh... e não pensem vocês que Super Homem é lido no Japão da direita para a esquerda, tá? Eles não profanam a ordem de leitura da outra parte do mundo; como nós, os japoneses se esforçam um pouco para ler no sentido inverso... se bem que, não há no Japão consumo substancial de quadrinhos estrangeiros.

¹ - lembrando que mangá (マンガ) é a palavra japonesa equivalente à história em quadrinhos. Então, querido otaku, não corrija seu amigo quando ele disser "vou comprar os quadrinhos de Naruto para ler".

Sentido de leitura ocidental
Nosso conhecido sentido de leitura - da esquerda para a direita, de cima para baixo. Estamos tão acostumados com essa ordem que quase não sabemos sua origem... mas não se preocupe com isso porque eu vou contar resumidamente como a mágica aconteceu:

Antigamente, os romanos escreviam suas coisas em tábuas de madeira cobertas de cera; depois de um tempo, com as viagens e tudo o mais, descobriram que existia uma coisa chamada papiro e começaram a usar isso pra escrever em cima. Como tempo, precisaram arrumar uma alternativa para o papiro, pois este era complicado de ser produzido em grande quantidade. Aí mudaram a base da escrita para os pergaminhos - feitos com couro de animal (inclusive de gente). Como enrolar aquele monte de couro ocupava um espaço absurdo, resolveram encadernar costurando as laterais... e está aí o primeiro objeto parecido com o livro que conhecemos hoje. O resto, galera, é herança histórica de colonização.

Por isso que lemos da esquerda pra direita.

E o que tem meus quadrinhos a ver com isso, Nane?
Tem que errinhos bobos podem ser evitados. Por exemplo:
Turma na Mônica Jovem - MSP

Eis aqui uma HQ que, embora alguns não acompanhem, todos conhecem - Turma da Mônica Jovem. Não entrarei em detalhes sobre a proposta da revista, estou apenas analisando uma página da edição #31. Também quero deixar claro que minha intenção não é pejorar o trabalho do MSP, e sim, analisar criticamente seu trabalho em relação à construção da página acima propositalmente escolhida.

Levando em consideração a nossa ordem de leitura (ocidentaaaaal galerinha do manga, ocidentaaaal!), os dois últimos quadros da composição quebram o fluxo da leitura. Uma vez que nosso olhar percorre a página formando, normalmente, uma diagonal para baixo (começando do canto superior esquerdo e terminando no canto inferior direito) procurando o gancho para a próxima página, temos a diagonal do braço da Mônica conduzindo nosso olhar novamente para cima. Complicou, né?

Em azul o que deveria acontecer e em vermelho o que acontece.

Essa seta aponta para a página anterior, que já foi lida. Mas nosso cérebro, muito sagazmente, conserta esse bug e nos faz continuar a leitura como se nada tivesse acontecido. Tanto é que muitos talvez nem tenham percebido isso até eu falar... porque, se tivessem, a página estaria diferente e talvez nem teríamos o Cappuccino de hoje.

O fato é que a coisa se repete no último quadro da página - os personagens estão "correndo pra trás", quando poderiam correr para o lado direito, servindo como gancho para a virada de página.

As páginas ímpares, na publicação ocidental, ficam do lado direito.

Minha solução seria:

Espelhar, ou redesenhar os quadros - voltando as falas e ações para o lado direito.

Encontro coisas assim nos mangás também, para quem estiver achando que é implicância minha. Usei um exemplo conhecido para aproximar mais da nossa realidade. São pequenos detalhes que fazem a diferença e, assim como eu digo pra minha mãe colocar mais chocolate no bolo, estou pedindo que você melhore cada vez mais a sua produção - seja ela num blog ou nas bancas todo mês.

Eu mesma tenho muito material aqui com coisas bem assustadoras, toscas e profanas, das quais me envergonho completamente de ter feito... mas o importante é que amadureci o meu olhar técnico e crítico tanto para desenvolver meu próprio trabalho, quanto para tentar ajudar aquelas pessoas que também querem crescer.

Espero ter ajudado.
Até a próxima! o/