terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Desenhando pessoas (0)

Oi! Tudo joia?
Neste período eu quis me matricular numa disciplina do curso de Artes (Ufes) chamada Desenho 3, em que aprendemos a representar o corpo humano por meio de desenho. Para isso, estudamos estruturas ósseas, musculatura, anatomia, sempre partindo da unidade para o conjunto. Ou seja, para desenhar um rosto, primeiro tivemos que desenhar muitos olhos, orelhas, narizes e bocas, entendendo a estrutura de cada parte separado para depois compor um rosto inteiro.

Alguns dos meus exercícios de aula

Ontem me perguntaram por que estava frequentando aquelas aulas, já que eu desenho há tanto tempo. Bom, minha resposta foi "pra fazer direito o que eu quero fazer". Sempre defendi a máxima de que para se desconstruir alguma coisa, é necessário que se saiba construir essa coisa e entender como funcionam suas estruturas. Por mais que exista material nas bancas e na internet ensinando anatomia, acho importante ter a troca de informações com um professor ou alguém que saiba o que está fazendo.

Possível esqueleto do Charlie Brown (Isso foi genial!)

Então, minha proposta é fazer posts com os conhecimentos adquiridos durante as aulas para auxiliar quem tem o mesmo interesse que eu em saber construir coisas para depois desconstruir direito. Quando digo desconstruir, me refiro a deformação das figuras humanas; como fazer essa deformação sem que o personagem perca as proporções e características humanas dele.

Isso dá pano pra criação de personagens bem interessantes! Quando se domina a estrutura do corpo humano e a de um peixe, por exemplo, fica muito mais fácil desenhar uma sereia! =D Pretendo falar de tudo isso nesta série de posts sobre desenho de pessoas. Espero que seja útil.

Se for acompanhar, sugiro esquentar a mão pelo post Quero desenhar! Como começo?. No próximo post, falarei sobre a estrutura da cabeça.

Até lá! o/

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

Eu e o Grupo Y-no

Que previsível, huh?
Claro que vou falar do Grupo Y-no no Cappuccino hoje!

Para quem não sabe, ontem foi ao ar uma matéria no programa dominical Fantástico, exibido pela Rede Globo, sobre o Grupo Y-no - grupo formado por japoneses que faz sucesso em Tóquio cantando pagode e samba em português e japonês. E eu estava lá também!

clique na imagem para assistir ao vídeo

Os meninos conheceram a cultura brasileira entrando por curiosidade em um clube da faculdade com esse tema. Lá, se apaixonaram pela nossa música e ritmo! No ano seguinte, formaram um grupo de pagode - Grupo Y-no (ii no: bom).  Aprenderam a tocar os instrumentos musicais sozinhos! Quer dizer, o básico foi aprendido com algum conhecido que sabia, ou olhando nas revistas... mas o resto, fizeram por eles mesmos. 

E eu com isso?
Como 99% das amizades que fiz na vida, a com o Grupo Y-no também começou com um desenho! 3 anos depois, nos conhecemos pessoalmente. Combinamos de nos encontrar no Rio de Janeiro e passeamos bastante pra lá e pra cá. A equipe do Fantástico acompanhou a gente por um dia inteiro, dos quatro que ficamos por lá. Tive oportunidade de conhecer a cidade, pontos turísticos, restaurantes maravilhosos... e realizei o sonho de conhecer tanto meus amigos que estavam do outro lado do mundo, quanto um amigo dos tempos de bate-papo da uol, o DJ Wonka, quem eu nunca tinha visto pessoalmente em 10 anos de amizade!

da esquerda, esquerda, esquerda, pra direita: Itú, Kenta, eu, Max e Tanaka

Eu estudo o idioma japonês sozinha há 3 anos, sou apaixonada pelo Japão, morro de vontade de conhecer o país e importo muita coisa da cultura deles. Conhecer japoneses que amam a minha cultura me deixou muito feliz e orgulhosa. Por causa deles passei a estudar mais a minha origem e me apegar mais ao meu país. 

Fiquei na casa da minha amigona de infância e seu marido, que me apoiaram o tempo todo. Estou muito feliz por tudo o que aconteceu e agradeço muito a eles, de todo o coração! s2

Moral da história:
Por mais impossível que seu sonho pareça, acredite nele! Se eu tivesse escutado as pessoas que me disseram para abandonar o mangá, eu estaria rica... mas não teria passado por tudo isso que aconteceu semana passada.

Quando alguém disser que algo é impossível, lembre que Shiryu mudou o curso da cachoeira!

Que seus sonhos se realizem também!


Até a próxima! o/

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Férias induzidas, viagem e tudo o mais

Ano novo, vida nova!
Mesmo tendo milhares de coisas pra fazer, desenhar, resolver e pesquisar, precisei viajar para alguns lugares com minha família. Começo de ano é a época ideal para fazer isso, pois todos ficamos de férias, e muito embora eu não estivesse de férias, tive que matar alguns dias de serviço.

Por sorte, a minha chefe (que por acaso sou eu) é super compreensiva e concordou que eu merecia um descanso pelos serviços prestados a ela no ano que se passou. Afinal, ela precisa de mim pra viver e sabe que se eu não tiver uns dias de folga, não terei condições físicas nem psicológicas para trabalhar pra ela.

Viagem
Fui com a família conhecer a cidade de Ouro Preto, em Minas Gerais. Lá é muito lindo, mas para andar lá precisa ter disposição... e bons joelhos. É um sobe e desce danado de ladeiras pavimentadas com pedras, mas os lugares que a gente visita por conta disso valem a pena o esforço. Eu não sei o quanto você gosta de História do Brasil, se gostar, o passeio é válido!

Lá, além das muitas igrejas, e capelas e artes sacras, encontramos as obras de Aleijadinho e aprendemos um pouco mais sobre a história dos mineradores e escravos que viviam na região. O museu da Inconfidência é bem legal de se ir também, mas aconselho pagar um guia devidamente credenciado pela prefeitura para andar com você e explicar as coisas. Caso contrário, ficará andando pra lá e pra cá olhando as coisas e entendendo nada.

Há também um passeio que fazemos dentro de minas antigas. Eu sou meio claustrofóbica, mas encarei de boa. Dentro da mina é bem fresco e a gente consegue ver um monte de pedras diferentes.

Outro lugar que oferece um serviço legal é uma loja na Praça de Tiradentes chamada Época de Fantasia. Lá eles tiram fotos da gente com roupas de época, basta pagar a taxa de aluguel da fantasia. Eu tirei um monte de fotos!

Aproveitando a proximidade, passamos pela cidade de Mariana. Entre Outro Preto e lá, tem a Mina da Passagem. Ela é grandona e cheia de galerias! A gente desce até ela por um carrinho puxado à cabo. Dizem que ela ainda está em funcionamento, mas eu sei lá se está. Algumas pessoas que fazem mergulho em cavernas vão pra lá porque tem uma lagoa dentro da mina, e nessa lagoa, tem uma caverna. É perigoso, mas tem doido pra tudo nesse mundo.

Tudo o mais
Nesse tempo todo que passei fora, tentei não desenhar ou escrever muito, pois o médico me deu a infeliz notícia de que eu estou com lesão por esforço repetitivo na mão direita e preciso desenhar menos se eu quiser continuar trabalhando com isso (absurdo isso!). Me sinto descansada o suficiente, mas os remédios ainda não acabaram e ainda preciso caçar fisioterapia. (>.<)

Espero que este ano seja melhor (e mais fresco) que o ano passado!
Até a próxima!