segunda-feira, 6 de maio de 2013

Canetinhas Aquareláveis - Golpe?

Foi desse aí que comprei!

Dos materiais novos que mostrei aqui, o que mais usei até agora foram as Canetinhas Colour Grip Aquareláveis da Faber Castell. O post de hoje, além de mostrar o resultado de alguns desenhos que fiz, apresenta a minha avaliação sobre o possível "golpe" da Faber Castell.

Golpe?! Como assim?
Primeiramente, devemos nos ater ao fato de que todo desenho colorido com canetinha hidrográfica vai manchar quando cair água em cima dele.  Isso se dá porque essas canetinhas são à base de água.

Sabendo disso, um amigo meu (o Bis) fez o seguinte questionamento: "Se toda canetinha é hidrográfica, qual seria então a diferença da aquarelável para a normal?". Foi uma pergunta interessante e que me fez pensar muitas coisas, inclusive no dinheiro que gastei comprando esse estojo. Ao todo 4 pessoas se envolveram nessa causa para desvendar o mistério da canetinha, sendo que a parte da experimentação coube a minha pessoa fazer.

Eu só comecei a fazer testes comparativos depois que verificaram que as Colour Grip Aquareláveis foram anunciadas como lançamento na página brasileira e estavam ausentes do site internacional da Faber Castell.

Quais testes foram feitos?
Antes de falar dos testes, vou mostrar o primeiro desenho que fiz semana passada na casa da Suco (Caixola) para testar as canetas. Não lembro se na ocasião o Bis já tinha levantado a possibilidade de golpe... Enfim, os resultados foram estes:

Aoxo à esquerda e uma Fanart do Finn (Adventure Time) à direita

Bom, depois de ficar preocupada com o meu bolso, comecei a fazer testes de observação. O primeiro deles foi observar a olho nu o comportamento dos dois tipos de caneta - normal e aquarelável - no mesmo tipo de papel. Aparentemente, a canetinha normal deixa mais resíduo que a canetinha aquarelável. A impressão que tive foi de que a canetinha aquarela é mais parecida com as ecolines/aqualines da vida.

Fiz o teste com dois tipos distintos de papel: um bem poroso (Canson 200g/m²) para absorver a tinta e outro liso (Couche 120g/m²) para deixar resíduo na superfície.

Resultado do papel poroso

Tentei usar a mesma quantidade de água e pinceladas nas duas massas de tinta. A canetinha comum demora mais para diluir e danifica o papel com mais facilidade do que a canetinha aquarela. Esses pontos mais escuros são do efeito da tinta na fibra do papel.

Resultado no papel liso

Nas duas situações do teste no papel liso a tinta não manchou, mas é notável que a aquarelável ficou bem mais uniforme e diluída que a da canetinha comum.

Teste de mistura de cor

A mistura de cor também fica mais suave com a canetinha aquarelável, embora me agrade a mancha formada pela canetinha comum. Pra ter certeza do que eu tinha pensado, fiz o segundo teste com ajuda de um conta-fios (uma espécie de lupa - o que eu tenho aumenta a imagem em até 10x), uma lupa de joalheiro (aumenta 30x) e microscópio (até 450x) para olhar o pigmento deixado no papel.

Essas foram as lâminas que usei nos três aparelhos para comparação

Primeiro eu olhei com a tinta "pura", ou seja, risquei diretamente no vidro e fiz as observações ampliando. Depois eu pinguei uma gota d'água das duas lâminas e vi o que acontecia com a tinta. Resultado: o pigmento da canetinha normal não dilui totalmente na água, deixando vários pontinhos azuis na gota. Na gota de canetinha aquarela quase não apareceram pontinhos azuis.

Enfim....
Meu bolso e eu não consideramos que as Canetinhas Colour Grip Aquareláveis sejam um golpe da Faber Castell. Além de não sujar minha mesa toda e não ocupar espaço demais com godê e pincel, senti mais facilidade na hora de definir áreas de sombra, e gostei do resultado obtido.

Tirinha do Grupo Y-no em andamento...

Não sei também se reinventei a roda e se informações sobre isso estão disponíveis em algum lugar, mas foi divertido descobrir coisas do meu jeito. Espero que tenha sido o suficiente pra responder a questão do Bis.

Até a próxima! o/

16 comentários:

  1. Quando vi essas canetinhas no mercado, fiquei com uma pulga atrás da orelha. Pensei q fosse um golpe de marketing, como seu amigo. Mas ñ é q funciona?! Seria até mais fácil de corrigir uma mancha errada (no caso dos desastrados, como eu XD)
    Esse tanto de estudo, podia virar tese científica! Hauahaua Mas valeu a pena pra incentivar outras pessoas, pq eu nunca usaria. ~ selo de qualidade Nane-chan ~
    Ah, adorei o Finn!! <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foi uma compra bem arriscada mesmo! Na hora que vi também fiquei com a pulga atrás da orelha, mas, como disse, quis arriscar e ver como funcionava.

      Quem tiver dinheiro sobrando pra gastar, pode se aventurar no estojo. Mas pra quem quer mesmo trabalhar com aquarela, continuo recomendando a compra do estojo da tinta em bisnaga. Hehehe!

      Gostou do Finn?! Eu imaginei de um jeito e desenhei de outro... acontece, né? xD

      Bjs o/

      Excluir
  2. Superinteressante! Bom saber disso! ^^

    ResponderExcluir
  3. Nane chan,a Caçadora de Mitos! heheuaheuahe
    Essa foi bem esclarecedor, com provas científicas e tudo mais xD.

    Enfim, gostei mais dos resultados com caneta aquarelável mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caçadora de Mitos... essa é boa! xD
      Nessas horas eu fico feliz em ter um microscópio amador em casa.

      Eu também gostei mais dos resultados com caneta aquarelável, mas há alguns efeitos interessantes que podem ser explorados com as manchas das canetinhas normais. Quando eu tiver tempo (e lembrar), farei algo com isso.

      Obrigada por comentar! o/

      Excluir
    2. Foi super Mythbuster mesmo esse post, bem apontado, 'sr. Momotaro' xD.
      Achei super válido os seus estudos, e bem melhor do que ficar metendo pau sem nenhum embasamento. Pelo menos sabeos que não é enganação da Faber.
      que eu ainda acho estranho é um produto "bacana" ser lançado aqui e não lá, sendo que costuma ser o contrário. ^^

      Excluir
    3. Essa aí é uma questão que somente a Faber Castell poderá nos explicar, não acha? Quando olhei o site deles, vi uma porção de coisas legais e desnecessárias, como lápis aquarelável para mangá. De acordo com a temática do mangá, era vendido uma paleta de cores de lápis diferente.

      Enfim, foi uma experiência divertida.

      Excluir
  4. Obrigado, Nane! Foi muito esclarecedor! Vlw!

    ResponderExcluir
  5. Nane detetive...adorei o material novo! rsrsrs

    ResponderExcluir
  6. Desculpem-me pela pergunta tola, mas não trabalho com desenhos - por falta de opção, infelizmente não tenho esse dom -. Gosto muito de colorir e desenhar aleatoriamente, mas sou péssima. Enfim, como se usa essas canetinhas?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não existe pergunta tola. =)

      Essas canetinhas funcionam bem parecido com o lápis de cor aquarelável. Você passa ela no papel e depois vem com um pincel molhado e espalha e mescla as cores. Fiz um post mais recente com vídeo demonstrando "a mágica":

      Demonstração com canetinha aquarela

      Espero ter contribuído.

      Excluir
  7. Interessante! Quando vi na papelaria, nem dei audiencia a elas, pensei que tavam querendo trocar 6 por meia duzia hahaha. Então comprei a "vai e vem", pra pintar aqueles livros de colorir mesmo, sabe...

    Então li a resenha no blog do Mateus e aqui, e no fim, estou decidida a dar uma arriscadinha! Adorei os resultados.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São ótimas, viu! Vai arriscar super certo. rs
      O Mateus faz uns testes muito bons com materiais no blog dele, vale a pena conferir sempre.

      Obrigada pela visita!

      Excluir