quinta-feira, 15 de novembro de 2012

Crayon analógico e digital

Uau! Quanto tempo se passou desde a última postagem! Estive envolvida em alguns projetos ultimamente e quase não tive oportunidade para atualizar o Cappuccino durante as semanas que se passaram. As ideias e conteúdos, por sua vez, foram acumulando e terei dificuldade até para ordenar o pensamento, já que fico com vontade de falar tudo ao mesmo tempo.

Costuma-se usar o Crayon ou lápis de cera para desenhar, colorir, escrever. Geralmente associamos essa palavra apenas a giz de cera, mas é uma visão equivocada. Lápis de cor, lápis dermatográfico, carvão, giz pastel, giz de cera, tudo isso é considerado crayon, e felizmente temos disponíveis hoje no mercado um monte de cores e marcas.

File:Crayones cera.jpg
Giz de cera

As cores
Geralmente estudamos cor em dois momentos importantes da nossa vida escolar: 1 - nas aulas de Física (disco de Newton e disco de Benham) ; 2 - nas aulas de Citologia (cones e bastonetes, lembra?). Eu poderia falar aqui dos comprimentos de onda e das células fotossensíveis presentes nos nossos olhos, mas é melhor deixar essa parte pra lá. Simplificando muito a história, existem dois tipos de cor: cor luz e cor pigmento. A cor luz é a que vemos na TV ou no monitor do computador; e a cor pigmento é a cor que vemos nos impressos, nas tintas, lápis, caneta, etc.

Cores primárias
Chamamos de cores primárias aquelas cores que dão origem a todas as outras. No caso da cor luz, temos o vermelho, verde e azul (RGB - red, green, blue) como primárias, e nas cores pigmento temos cian, magenta e amarelo (CMY - cian, magenta, yellow). 

Misturando as cores

Disco cromático

Fiz dois círculos cromáticos usando dois materiais diferentes com apenas as três cores primárias de pigmento (CMY) para formar todas as outras cores. Podemos observar que a passagem de uma para a outra se dá de maneira brusca, devido ao material utilizado, e essa sobreposição de camadas de cor para misturar se assemelha ao que fazemos com aquarela.

Lavando com branco

Na imagem acima vemos uma espécie de borrão na parte superior das misturas. Esse borrão é formado pelo lápis e giz brancos. Essa é uma das funções do lápis branco, na verdade... suavizar a passagem de cor, ou esfumaçar, ou clarear determinada área do desenho, além de dar tom pastel às cores.

Obtendo efeitos como este, por exemplo


Crayon no Paint Tool SAI

Primeiro desenho feito no Paint Tool SAI

Há alguns dias instalei a versão trial do Paint Tool SAI no computador para ver como era, já que muitos amigos meus estavam trocando o Photoshop pelo SAI para colorir e tecendo elogios sobre ele. Apesar de realmente deixar a linha de contorno mais "bonita" e menos tremida que no Photoshop, e poder contar com uma variedade de brushes, achei os efeitos do SAI um pouco fracos (o de aquarela é horrível!). Um dos que mais achei interessantes foi o de efeito crayon, e foi com ele que colori o desenho acima para o J.A.C. do Halloween.

Detalhe 1

Usando todos aqueles conceitos da primeira parte deste post, colori o desenho todo digitalmente. O SAI simula o comportamento dos pigmentos, e se você trabalha a cor toda na mesma camada, é possível lavar a cor escura com uma cor mais clara, ou até mesmo com o brush branco.

Detalhe 2

No meio físico temos limitações de cores, mesmo fazendo misturas. No meio digital, as opções aumentam em milhões de vezes, mas o esforço braçal (pelo menos no que pude notar usando o SAI) continua o mesmo, as únicas vantagens são não precisar escanear e poder dar Ctrl+Z.

Paint Tool SAI

Interface do SAI

Aí está a interface do SAI com a imagem da Aoxo pra colorir e as configurações de brush que eu estou usando. Costumo criar minha própria paleta para não ficar perdida depois naquele círculo de milhões de cores, mas isso vai de cada um.

Mais uma captura de tela, com as cores usadas na máscara e na pele

A dica que eu dou pra quem quiser brincar nesse programa usando o efeito crayon é: faça de conta que é lápis de cor de verdade, pinte sempre no mesmo sentido, esfumace fazendo movimentos circulares, e muito cuidado com a pressão da caneta.

Fiz um vídeo curto pintando uma parte:


O post ficou maior do que eu previa, espero que tenha gostado.
Dúvidas, correções, sugestões... é só deixar comentário ou enviar e-mail. ;)

Até a próxima! o/

16 comentários:

  1. Post super útil. Eu nunca tive muita habilidade pintando com lápis de cor e sempre admirei a forma como você os utiliza. Falta prática pra mim. Hehehe ^^

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Instala o SAI aí pra praticar, Suco. Você que tem facilidade com pintura digital vai pegar o jeito rapidinho! ;)

      Excluir
    2. Já instalei o SAI. Mexi um pouquinho nele e me perdi com facilidade, pra ser sincera. O negócio que eu digo não é a pintura digital em si, é ter a prática que você adquiriu. Vai demorar. ^^

      Excluir
    3. Ahhhhhh.... põe ae uns 20 anos de prática. xD

      Excluir
  2. Olá, Nane! Parabéns pelo post! Não conhecia esse programa, parece bem legal. Ouvi falar muito bem de um programa chamado ArtRage, parece que simula muito bem as técnicas de pintura. Parabéns também pelo Blog! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Douglas! Obrigada!

      Eu conheço o ArtRage, mas nunca mexi nele. Desses simuladores eu só experimentei o Corel Painter e o Paint Tool SAI até agora. Qualquer hora instalo aqui pra dar uma futucada. Valeu pela dica! ;)

      Excluir
  3. Oie Nane.
    Então, sobre a fidelidade do efeito da ferramenta, meu programa preferido é o Art Rage. É dificil controlar a precisão dos pincéis, mas pra fazer a pintura e o acabamento eu acho maravilhoso. Ele simula direitinho o efeito do crayon no canvas e até mesmo o volume da pincelada de tinta. Você já viu/ouviu/usou?
    E para o efeito de aquarela, meu preferido é o Open Canvas. Ele tá loooooooooooonge de uma aquarela de verdade, mas ele é suave e fluido e deixa tudo "maciozinho".
    Mas o Paint Tool Sai é meu fiel companheiro mesmo, tanto no traço quanto na cor.
    AMEI o post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! =D
      Então, o Douglas perguntou a mesma coisa. Eu só vi/ouvi, mas nunca usei. As vezes eu sou a favor, outras vezes sou contra a simulação perfeita de materiais... a única vantagem mesmo que vejo num simulador é o fantástico Ctrl+Z que não existe na vida real. =P

      Gostaria de ver o resultado de suas experiências no Open Canvas! =D

      Excluir
    2. Aqui tem uma das minhas experiências no Open Canvas:
      http://diabledoux.deviantart.com/#/d5lmkl3

      E aqui tem uma no Art Rage:
      http://diabledoux.deviantart.com/gallery/#/d5caby5

      Excluir
    3. Nossa! Gostei muito dos efeitos nesse segundo.
      Acho que vou baixar todos eles pra experimentar também! =D

      Só preciso terminar meu trabalho de graduação antes... T_T

      Excluir
  4. Ah! o efeito de pincel "fuzitastic" ajuda no efeito crayon. Aliás, os efeitos de pincel são a grande sacada das ferramentas do sai.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu! Vou dar uma experimentada em tudo assim que eu tiver tempo sobrando. Instalei o SAI há bem pouco tempo e nem tive oportunidade de testar outras funções dele.

      Obrigadinha! ;)

      Excluir
  5. Oiiiiiiiii Nanee!!! Estou experimentando vários programas e vários materiais digitais, acho muito divertido mas, ainda não me apeguei a nenhum. Até pincel e paleta de cores COPIC eu instalei no meu photoshop... não sei se gostei do brush..pq nunca peguei uma copic na mão, assim não posso definir a fidelidade ou proximidade.. mas a paleta de cores é incrível..! Usei o SAI também e gostei de algumas coisas...e agora estou testando o Autodesk Sketchbook, veio uma versão dele junto com a minha tablet... adorei a simulação de caneta, lápis, makers entre outras ... uma versão mais atual possui ferramentas legais, como as próprias COPICS e ate curva francesa...

    Vlw por mais um post bom!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também nunca usei uma Copic... T_T meu sonho! Alguns mangás são coloridos com Copic e isso deve ser um adianto de vida danado pra quem não tem tempo de misturar aquarela ou ecoline. Outro ponto forte dos simuladores é isso: você pode experimentar alguns materiais antes de sair comprando.

      Não conhecia esse Autodesk Sketchbook. Parece ser bom mesmo! =D
      Valeu! o/

      Excluir