sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Nem toda tinta branca é corretivo!

Fiz o Cappuccino de hoje pensando no post de semanas atrás: "Nem toda tinta preta é nanquim". Quando falei das possibilidades e diferenças das tintas pretas das canetas, pensei também no uso dos diferentes materiais brancos que usamos para consertar erros e/ou produzir efeitos.

Apaga a linha aqui, põe brilho ali, esfumaça lá...

Quando o desenho é feito à lápis, a borracha é garantia de que os erros podem ser corrigidos... mas e quando a gente faz o que não deve "pra valer"? Isto é, e quando erramos uma coisa importante usando tinta, lápis de cor, marcadores? Faz falta um Ctrl+z na vida real! Ou então, o que fazer quando o desenho está sem contraste ou vibrante demais?

Atualmente, mesmo que uma ilustração seja feita por processos manuais, de um jeito ou de outro ela recebe tratamento digital antes de ser utilizada no veículo ao qual se destina. Alguns erros e manchas, diferença de cores, efeitos, etc, podem ser facilmente corrigidos usando ferramentas dos softwares de edição de imagem. Algo que podemos fazer para diminuir o trabalho na hora da edição é tentar suavizar os problemas.


Diferentes materiais brancos:

Nanquim branco, aquarela, lápis de cor, lápis dermatográfico, caneta gel, corretivo e guache.

Já mostrei vários materiais diferentes aqui no blog e falei sobre comportamento de cada um. A tinta branca correspondente aos tipos diversos desses materiais não costuma ser diferente - em termos de "comportamento" - das demais cores.

O lápis de cor branco, por exemplo, é composto por pigmento, argila, cera e aglutinantes. Quando passamos ele por sobre papel branco, o pigmento branco ficará preso no papel e dependendo da concentração de cera, dificilmente conseguiremos misturar outra cor. Se o contrário for feito, se passar lápis colorido primeiro e por cima passar o branco, é possível aumentar a luminosidade da primeira cor.

giz pastel branco é um material mais delicado e de pouca aderência, pois é composto por muito pigmento e pouco aglutinante. Pode ser aplicado por cima de qualquer outro material e esfumaçado facilmente. Para efeito de luminosidade é bom, mas não recomendo para apagar erros.

Coloco o famoso corretivo escolar na mesma categoria da caneta gel branca. Recomendo usar para acabamento - retocar umas linhas aqui e ali, puxar picos de luz, trazer áreas de grande contraste... São bons artifícios para cobrir erros, mas o corretivo escolar costuma amarelar com o tempo. A caneta gel, por sua vez, adere o pigmento da tinta que está sob ela.

As tintas brancas de guache e aquarela possuem a mesma composição, diferenciando basicamente na quantidade de coisas (aglutinantes e pigmentos). A tinta guache é mais espessa e mais recomendada para consertar "burradas", porque ao contrário do corretivo escolar, guache não costuma amarelar com o tempo... eu usava muito em quadrinhos. Na falta de guache, dá até pra usar aquarela em bisnaga, mas ela é bem mais fraquinha e dilui mais fácil. Em vez de corrigir uma mancha, pode causar uma nova. =P

Para quem gosta de nanquim, nanquim branco é uma opção e tanto, principalmente para trabalhos preto e branco. Use sem medo de ser feliz, pois o comportamento é o mesmo do nanquim preto: depois de seco, fica impermeável. Pra ter ideia, deixei secar nanquim branco no godê e não sai nem à pau! Já lavei muitas vezes e até agora nada...

Dois exemplos conhecidos e distintos de uso do material branco.
Esquerda: caneta gel branca usada no cabelo absorveu pigmento do marcador;
Direita: caneta gel e corretivo escolar não pegaram pigmento do material sob eles.

Nessa listinha podem entrar o lápis dermatográfico branco, aquela brush pen opaca da Magic Color, marcador branco Posca, tinta acrílica branca, etc, etc. 

Li certa vez que a cor branca "puro" não existe, e o que encontramos não só na forma de pigmento branco, mas objetos e papel, são na verdade variações de cinza com quase nada preto. E esses "brancos" também possuem variações frias e quentes, e tendência a outras cores, quando misturados (Materiais e técnicas: guia completo. São Paulo: Martins Fontes, 2008. p.68-69). Então, mais uma vez levanto a importância de se descobrir a finalidade do trabalho antes de escolher o material para executá-lo.

Enfim, eu não tenho conhecimento tão aprofundado pra afirmar nada com 100% de certeza, mas procuro sempre pesquisar as coisas que eu tenho para saber o que pode dar certo ou errado - e saber porque deu certo e porque deu errado. Algumas coisas são respondidas observando o resultado de testes, e outras infelizmente não estão ao meu alcance. Mas se o pouquinho da minha experiência puder ajudar em alguma coisa, eu já fico satisfeita.

Até a próxima! o/

12 comentários:

  1. Nane
    Que super esse texto!!!!
    Bem esclarecedor. Não é à toa que o pessoal te chama Mythbusters...rs
    É compartilhando que aprendemos mais. Acho isso sensacional.

    Eu nunca vi essa caneta gel que você e a querida Joyce costumam falar nos posts. Estou super curiosa para experimentar uma. E lá vamos nós acrescentar mais um item para a listinha dos desejos que nunca chega ao fim....rs

    Eu faço a linha FURIOSA/REBELDE quando cometo alguma burrada e simplesmente recomeço o trabalho. Por mais óbvio que pareça NUNCA pensei em buscar alguma solução mais inteligente como usar alguma tinta para "arrumar" alguma coisa. Também não confiava no tal nanquim branco, e como já disse, não conhecia a caneta gel e JAMAIS pensaria em usar o corretivo. Definitivamente o corretivo não passaria mesmo pela minha Caixola (Cachola), desculpa o trocadilho querida Joyce, não resisti..hahahahah

    Eu fico me perguntando: de onde vocês tiram essas sacadas? Eu devo ser muito limitada mesmo...rs,rs,rs,rs.

    Já o guache sempre achei que servia apenas para ser usado em algum suporte mais escuro ou para misturar com outra cor. Fora isso, nem em meus melhores sonhos ele seria usado para corrigir alguma coisa. É, sou reduzida nas ideias mesmo..rs,rs,rs.

    A aquarela nunca fez sentido para mim. Já que a aquarela é mais transparente. Então, para que serviria o branco???? E também não sei usar essa técnica linda.

    Enfim, mais um aprendizado.

    Bora cometer alguns errinhos e aplicar os novos ensinamentos...rs

    Forte abraço
    Silvia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Silvia,
      esse pessoal gosta é de tirar uma da minha cara chamando de mythbuster, isso sim! Kkk

      Mas isso que você falou é super comum mesmo, a gente passa tempo quebrando a cabeça com coisa difícil quando a resposta é algo super óbvio. Claro que em alguns momentos será necessário desapegar e recomeçar a coisa toda de novo, mas quando o erro é pequeno, talvez a melhor opção seja tentar corrigir.

      Eu uso a tinta aquarela branca pra deixar a cor mais pastel. Mesmo tendo transparência, ela deixa a mistura um pouco mais opaca. Experimenta qualquer hora dessas nos seus lindos desenhos.

      A caneta gel branca não é tão difícil de achar em papelarias daqui. Se o vendedor fizer cara de quem não fala seu idioma na hora que você perguntar pela caneta, você pergunta assim "tem caneta dourada?"... aí ele vai trazer um pote cheio dessas canetas douradas, prateadas, com gliter, cheiro de morango... aí você pergunta "tem dela branca?". Muito mais fácil dessa forma.

      Boa sorte nos seus erros! (que estranho desejar isso)
      Abraço! o/

      Excluir
    2. Sílvia, pode usar o trocadilho, afinal foi baseado nisso que surgiu o nome do blog. :P

      Sobre a caneta gel branca que a gente tanto fala, foi dica de um outro amigo nosso (o Bis). Já pesquisei bastante a respeito também, e o modelo que se encontra com maior facilidade no Brasil é esse aqui da Uni-Ball. Existe também a Sakura Roll, mas na ArtCamargo não tem a cor branca disponível.

      Se for fazer alguma compra pela web qualquer dia desses, adiciona no meio do pedido a caneta, e experimenta! Vai valer a pena ver novas possibilidades com o uso da tinta branca! :D

      Excluir
    3. É mesmo, bem lembrado, Joy!
      Quando não conseguimos algo por perto, as lojas virtuais podem quebrar um galho.

      Excluir
  2. Acho que muitas pessoas subestimam o uso da tinta branca para desenhar né?
    Mas você mais uma vez nos mostrou o quão variado pode ser sua aplicação, recursos, cada um com suas características próprias.

    Até o popular corretivo escolar tem sua serventia.

    Parabéns por mais um post mythbuster hehehehehe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lá vem você de novo com o "myhtbuster"! xD

      É o tipo de coisa que a gente aprende com o tempo, observando dicas e técnicas de outras pessoas inclusive. Como prefiro desenvolver as coisas de modo "tradicional", acabo pesquisando e testando vários materiais e, consequentemente, como dar "ctrl+z".

      Obrigada pela sua presença, comentário e apoio, Sr. Momotaro! o/

      Excluir
  3. Eu acho que o grande problema com a tinta branca é que a maioria das pessoas cria em papéis de alta alvura, e nesse caso é comum acharmos inútil o uso de qualquer pigmento branco que não seja para suavizar as outras cores que estamos trabalhando.

    Comecei a notar com frequência o uso dessas tintas quando passei a acompanhar alguns artistas estrangeiros, pois lá é muito comum o uso de sketchbook de papel marrom (papéis reciclados de maneira geral), e nesses papéis a tinta aparece mais, e acaba dando muitos efeitos interessantes. :D

    Muito legal sua iniciativa de contribuir com sua experiência no uso de tintas brancas para vários fins, Nanika!

    Beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Suco!

      Então, criação em papel de alta alvura é complicado por muito motivos. Depois que vi que até mesmo as tintas brancas tem tendências quentes ou frias, definir o que servirá melhor para cada papel deve ser só na base do teste mesmo. Até mesmo essas tintas brancas de parede variam pra chuchu... meu quarto tem 2 tons diferentes de branco, um que vai pro cinza frio e outro que aparenta ser quente. =P

      Jogar branco sobre papel de outra cor dá um enfeito muito legal mesmo. Fiz isso com os desenhos do Shuho e do Kite naquele caderninho azul da Tilibra, mas fica tão mais legal em papel amarelado né? (-_-)

      Excluir
  4. Ah! Esqueci de comentar: parece que a Magic Color também está lançando marcadores de tinta branca a álcool. :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah sim, eu vi. Ela substitui o cinza no estojo das cores básicas.
      Será que funfa? Tô curiosa...

      Excluir
    2. Eu também estou, mas não comprarei outro estojo de cores básicas tão cedo, hehehehe!

      :D

      Excluir
    3. Deve ter como comprar avulsa também, não precisa necessariamente comprar um estojo completo das básicas.

      Excluir