domingo, 31 de agosto de 2014

#MDC Supercalifragilisticoespialidoso!

Sabe quando você está sem palavras para descrever uma emoção? Do lugar de onde veio Mary Poppins (na versão Disney), existe uma palavra que podemos usar em momentos assim: esta palavra é "supercalifragilisticoespialidoso".

Explicado o título deste post, vamos ao que interessa - o conteúdo. Em agosto, o MDC teve como tema "gender bender", uma brincadeira de transformação de gêneros dos personagens. Ficou acordado que poderíamos fazer a mudança de sexo em qualquer personagem conhecido, ou seja, não valia OC (original character) ou familiares, por exemplo. Como na época que o desafio foi lançado eu estava vivendo uma fase Mary Poppins, resolvi que ela seria minha vítima.

Afinal, quem é Mary Poppins?
Embora muita gente conheça por causa do filme, ela é originalmente uma personagem de uma série de livros da escritora P. L. Travers. Mary Poppins é uma espécie de babá bem diferente, às vezes fria demais, correta demais, mágica demais... e, com o guarda-chuva aberto, é carregada pelo vento.

Meu MDC.
Os primeiros estudos que fiz depois de definir os personagens que trabalharia a inversão de sexo foram "de cabeça", isto é, sem uma referência para consultar. Tudo que tinha era a memória do filme que assisti há alguns meses.

Mary Poppins e Bert - estudos mais crus.

Como as personagens eram, no filme, pessoas de verdade (Julie Andrews e Dick Van Dyke), senti necessidade de estudar melhor a fisionomia dos atores usando referências fotográficas. Além disso, me propus assistir novamente ao filme. Tipo, eu precisa entender como as pessoas seriam se fossem um desenho, para poder desenhar a versão feminina e masculina invertida deles. Tá sacando a roubada em que fui me meter?

Segundo estudo, usando referências antes da inversão de gênero.

O segundo estudo me agradou muito mais! Até comecei a arriscar uma "Berta" e um "John Poppins" com mais confiança para inserir movimento neles. Minha inspiração foi uma das cenas do filme (que existe também no livro) mostrando um passeio das personagens em um cenário desenhando.

Estudo de movimento das personagens com sexo trocado.

Durante os estudos senti necessidade também de ler o livro, porque queria ter a minha própria interpretação das personagens, saber como era a personalidade original delas. O filme apresenta a interpretação Disney da coisa toda, e eu queria chegar as minhas próprias conclusões.

Cheguei até a procurar o livro físico para comprar, mas só achei disponível a edição da editora Cosac Naify, cujo projeto gráfico não me agradou muito. Procurei as ilustrações originais do livro em inglês e anexei tudo na pastinha de referências.

À esquerda: ilustrações originais do livro. À direita: ilustrações de Ronaldo Fraga para Cosac Naify.

Depois de ler o livro, fiquei em dúvida se refazia tudo do zero, considerando apenas a Mary Poppins e o Bert originais, ou se continuava seguindo a interpretação Disney. Apesar de ter absorvido bastante coisa do livro, resolvi continuar na linha Disney, pois foi como conheci a história - e talvez como muitas outras pessoas aqui no Brasil conheceram.

Mais alguns estudos explorando movimentos e personalidade.

Ainda não estava plenamente satisfeita com o processo de "cartunização" e continuei procurando outras formas de representação. Passei quase o mês inteiro trabalhando nisso, um pouquinho todos os dias, nas horas livres do trabalho, e em alguns momentos dentro do ônibus.

Nesse estudo eu já estava pensando numa possível animação. xD

A essa altura do campeonato eu já estava saturada de Mary Poppins e fiquei quase uma semana só lendo o livro, sem desenhar nada. Todavia (olha eu usando a palavra "todavia") quando voltei ao desenho, me surpreendi com o resultado. Parece que o hiato fez bem e consegui um resultado melhor.

O último estudo das personagens antes de partir pro esboço.

O desenho do Bert, na imagem acima, foi graciosamente colorido por G., meu amigo pessoal e afilhado-por-tabela de 5 anos de idade! Ele estava insistindo para colorir a Mary Poppins também, mas foi facilmente persuadido a desenhar um Ben10 no caderno de desenho dele.  xD

Os finalmentes
Desisti de trabalhar também o Bert e foquei apenas na Mary Poppins. Adotei a última versão do estudo como base para inverter o gênero, e procurei não trabalhar imagens comuns, como ela sendo carregado pelo vento.

Optei trabalhar uma cena do filme que me pareceu bastante curiosa: a que Mary Poppins começa a retirar objetos grandes de sua pequena bolsa (um beijo, Hermione), fazendo as crianças ficarem admiradas. Ora, acho que isso espantaria até os adultos normais...

Esboços de duas versões da mesma cena.

No fim das contas, concluí que escolhi o caminho mais difícil para uma coisa simples. Muitas vezes me queixei de ter feito uma burrada escolhendo trabalhar com pessoas de verdade, mas fui cabeça dura e não desisti. Talvez fosse melhor trabalhar a cena icônica do vôo de guarda-chuva, facilitando o reconhecimento da personagem, mas nãããão... Lá fui eu trabalhar outra cena da história...

Desenho finalizado.

Na finalização usei caneta nanquim, aquarela em pastilha, lápis de cor para textura de camurça na bolsa e na fita do chapéu, e caneta gel branca para picos de luz nos sapatos e calça; papel para desenho Canson, 120g/m². Ainda estou na dúvida se gostei do resultado - pra variar. Como resultado de estudo, está ótimo, mas não sei se cumpriu com o quesito "fácil identificação".

O post ficou muito mais longo do que previa... Agradeço imensamente a você que teve paciência para ler tudo, e espero que tenha contribuído de alguma maneira para seu processo criativo. Uma boa pesquisa antes de desenhar ajuda muito a seguirmos o caminho para o melhor resultado, mesmo que neste caminho a gente tropece algumas vezes.

Até a próxima! o/
Espero você no próximo #MDC.

14 comentários:

  1. Nanika do céu! Eu sou testemunha de que você trabalhou nisso o mês inteiro, pois toda vez que nos falávamos, desde o anúncio do MDC, você comentava sobre seu "Mario Poppins" (ó eu dando meus nomes esdrúxulos pros personagens de novo! XD).

    E poxa, olha quanto material você gerou na tentativa de buscar uma solução pro seu problema. Temos aqui um verdadeiro exemplo de um trabalho de design. Idas e vindas, muito rabisco, muitas soluções e um produto final!

    Eu gostei muito da ilustração final. A colorização lembra o tom antigo do filme, o desenho tá muito bem resolvido e adorei como você se preocupou até em colocar o detalhe do reflexo no espelho.

    Mas confesso que em algum lugar ali em cima, tinha "Marios Poppins" que curti mais. ^^"
    Não sei se é aquela coisa do rascunho as vezes ser mais expressivo do que o desenho final, mas ele de roupa azul voando com o guarda-chuva ficou ótimo, e o rascunho dessa cena com a criança debaixo da mesa também me agradou muito!

    De qualquer maneira, parabéns pela persistência e por ter chegado a uma solução tão bacana pro problema! Ficou TOP! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Testemunha nada, você foi praticamente um lenço que acompanhou meu chororô o mês todinho pra conseguir dar cabo nesse desafio. XD Não se preocupe quanto ao nome, foi uma das opções em que pensei para o masculino de "Maria", mas o Bis optou por "John".

      Concordo que os rascunhos ficaram mais expressivos, principalmente aquele com cartola, segurando a fita métrica. Gostei muito daquele lá, mas queria ambientar meu estudo, em vez de trabalhar apenas uma pose.

      Obrigada por todo o seu apoio ao longo do desenvolvimento, de ter me dado força pra não deixar a peteca cair e sempre concordando comigo sobre eu ser cabeça dura. rs

      Bjos

      Excluir
  2. Ah, o "Senhor G." tem futuro, heim? Será que ele tava tentando transformar teu Bert no Ben 10?
    Tá tudo tão verde e amarelado ali... XD

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é... Senhor G. tem muito futuro, cara! Eu fiquei besta de ver ele desenhando o bonequinho dele do Ben10 de observação. Vez ou outra rola uns "Nane chaaan, desenha o olho pra mim?" ou "Nane chaaaan, não sei fazer o cabelo"... mas de noção de silhueta e proporções ele é um danadinho prodígio. (O.O)

      Se com 5 anos tá assim, imagina aos 20!!! Sorte dele (ou um belo azar) encontrar uma "designer madrinha" em seu caminho. O próximo presente será guache, pra aprender mistura de cores. (*m*)

      Excluir
  3. vou deixar aqui o meu humilde e sincero NOOOOOOOOOOOOOOOOOSSAAAAAAAAAAA!
    Que estudo incrível! Fiquei morrendo de vontade de desenhar a Mary Poppins! Ta ai um exercicio maravilhoso...transformar figuras reais em cartoon... e alem de tudo estudar o movimento!

    Seus post me encheu os olhos, vontade de largur tudo e pegar meu sketchbook, vontade de comprar um (sketchbook novo também tem uns lindos no site da elo7)
    Você mandou super bem da coloração, super de epoca! E o senhor G. ja ganhou uma fã rsrs

    Beijos! Vou ler seu post de novo rsrs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uhuuuuuuu!!!! Que bom que te animou, Débora!
      É realmente um processo difícil e interessante transformar gente em cartum ou o contrário. Acho legal quando alguém se propõe a fazer um desenho realista de como seria algum personagem, como também acho incrível quando personagens de animação são feitos baseados em pessoas de verdade (geralmente o ator/atriz que vai dublar).

      Gostaria de ver estudos seus, já que está empolgada. Tomara que vire post No Canto da Mesa. \o/

      Devido ao estrondoso sucesso repentino do prodígio Senhor G., vou ver se agendo um Cappuccino com ele em breve. É uma criança muito ocupada... rsrs

      Bjos!

      Excluir
  4. Caraca Naninha, esculachou hein! =]

    Ficou muito lindo o resultado final, principalmente podendo ver todo o caminho que você percorreu para desenvolver a ilustração do jeito que queria.

    Gostei dos tons que você usou, deixou a paleta de cores bem equilibrada. Parabéns =D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. HahuAHUahu... Esculachei a mim mesma tentando solucionar isso, né?

      Assim como a Joyce, você chegou a presenciar alguns dos meus momentos "bateção de cabeça" pra fazer esse desenho. Acho que se tivesse ainda mais tempo de prazo, continuaria trabalhando nisso até o final. Usei aquarela por influência de outro livro que estava lendo paralelamente, mas fiquei com vontade de tentar uma versão com marcadores. O problema é que não tenho tantas opções de cores com marcador, enquanto aquarela dá pra misturar e conseguir a cor que precisar.

      Obrigada por comentar. =D

      Excluir
  5. Minina do céu, ninguém diz q teve tanto trabalho pra 1 desenho, né? xD

    Acho q o que mais te deu problema foi estudar a Mary Poppins E o Bert. Vc conseguiu complicar mais ainda a coisa xP Sei q eles interagem bastante e q, transformando os dois, a visualização seria mais fácil... Mas, se já é dor de cabeça mudar 1, quem dirá 2 ao mesmo tempo!

    (Mas eu ñ posso falar nada, ja q tb escolhi um personagem real, pq achei animação mt fácil?? kkkk)

    Mas eu adorei o desenho final e a segunda posibilidade! E tds os rascunhos <3 E eu voto pro Bert ter versão final tb, já q investiu tanto nele u_u"

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O maior problema foi esse mesmo, acertou na mosca! Viu só que enrascada eu fui me meter? Nane, complicando o simples desde mil novecentos e batatinha.

      Eu também voto na finalização da "Berta". Hahahaha. É uma personagem bastante divertida e importante no filme, embora apareça pouquíssimo no livro. s2

      Obrigada pelo comentário, Mari.
      Tô ansiosa pra ver quem você vai fazer.

      Excluir
  6. Sinceramente não sei o que dizer.
    Baita estudo, heim?! Achei fantástico você ter contado todo o processo. É bom porque mostra que as coisas não caem do céu. É preciso mesmo estudar, olhar, pesquisar, rabiscar, apagar, rasgar, largar tudo e refazer...rs Esse processo nos deixa com um repertório magnífico.
    Parabéns pelo seu estudo que ficou lindão.
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Silvinha!
      Isso que você disse é a mais pura verdade. Nada cai do céu! Até a ideia que surge "do nada" vem sempre de algum lugar. rs Tudo que a gente faz é influenciado por algum repertório visual, afetivo, ou-sei-lá-mais-o-que. Por isso o estudo é importante eternamente.

      Obrigada por comentar. Beijos! o/

      Excluir
  7. Finaliza o penultimo desenho tambem! Nao cheguei a ver o filme, se nao fosse por aqui nunca ia saber que e um livro de uma escritora mulher! Acho que vou prourar ver o filme agora, e e isso mesmo... Cansa muito ficar tentando tantas vezes um desenho, mas no futuro isso acaba dando muito masi seguranca e personalidade pro proprio traco. Agora eu to num momento tentando sair da preguica, entao ver o esforco de outros desenhistas me da animo, e eu vejo que nao sou a unica a se matar tentando, kkkk Continue assim, tu ainda vai longe! Pelo amor de Deus, mande esses trabalhos pra uma agencia logo!!! Tens futuro!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quando eu tiver um tempinho sobrando, finalizarei o penúltimo estudo também, pode deixar. Depois de desenhar a Mary Poppins trocentas vezes, já me sinto segura de aze-la sem consultar referências, e isso é muito bom. É o que se espera de um estudo, na verdade. Que a gente consiga fazer algo com naturalidade, pois já possui o processo internalizado.

      Prometo que vou organizar um portfólio decente pra enviar pra alguma agencia. ^^
      Obrigada pela apoio e motivação!

      Excluir