sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Pincéis

Costumo usar vários tipos de pincel quando trabalho meus desenhos, seja na etapa de arte final ou de colorização, e cada um se adéqua melhor a um determinado uso. Vez ou outra recomento o uso de algum aqui no blog, mas nunca parei para dedicar um post somente para essas ferramentas lindas da minha vida. Pois bem, o post de hoje vai ser sobre pincéis... Não que eu seja especialista no assunto, mas vou dizer o que sei a respeito a fim de compartilhar minha experiência.

Pincéis legais redondos e chatos
Como disse, existem vários tipos de pincel e, dentre eles, há dois grupos mais conhecidos: o dos chatos e o dos redondos. Pincel chato é todo pincel com cerdas retas - são mais usados para espalhar tinta; já os redondos, possuem cerdas mais longas e arredondadas - retém mais tinta.

Sinceramente, uso o único pincel chato que tenho para prender o cabelo ou espalhar cola.

Tamanhos
Os pincéis artísticos são medidos de acordo com uma escala numérica que varia de 7/0 a sei-lá-qual-número. Os tamanhos de uso mais comum estão entre 000 e 20. Acho que funciona assim: quanto menor o número, menor é a quantidade e comprimento das cerdas.

Tamanhos diferentes de pinceis de pelo de orelha de boi.

A numeração do pincel fica impressa no cabo dele, junto com o nome do fabricante (marca), código de barras, número de referência (aquele 165 no cabo) e material das cerdas. 

Cerdas sintéticas e cerdas naturais
Pincéis de cerdas sintética são mais baratos e geralmente feitos de nylon, e se você não cuidar bem deles, fica igual cabelo de Barbie depois que a gente molha. São mais baratos e servem pra muita coisa, mas tenho a impressão de que eles não guardam tinta por muito tempo e "arranham" o papel.

Já os pincéis de pelos de animais são mais macios e dá pra passar um creme de vez em quando para manter as cerdas juntas. Os que eu uso com mais frequência são de pelo de marta (muito bons para tintas mais espessas como nanquim, acrílica e aquarela bisnaga) e de pelo de orelha de boi (ótimos para aquarela e guache... mas também uso pra nanquim às vezes). Tenho um de kolinsky também, que uso pra acabamentos.

Recapitulando: Na imagem acima temos dois pincéis, um da marca Tigre, outro da marca Condor; 
Tigre nº0 , ref 309, cerdas de kolinsky e Condor nº12, ref 415, cerdas de marta. ;)

Qual comprar, Nane?
Pergunta difícil! Até minha professora da Ufes me pedir pra comprar um de orelha de boi, eu achava que minha vida era perfeita com o pincel que vem no estojo escolar de lápis aquarela da Faber Castell. Mas pensando em todas as "descobertas" até hoje, aconselho não faltar em seu kit: pincéis redondos de pelo de marta e pincéis redondos de pelo de orelha de boi... E pode ser, sei lá, uns 3 tamanhos diferentes de cada um. =P

Mas claro que você pode se virar muito bem com os sintéticos. Para quem quer algo mais específico, é possível encontrar na internet várias dicas de qual pincel é mais apropriado para determinada técnica. Um local que oferece isso é o site da Tigre, que além de ter as descrições sobre os pincéis que vendem, te permite "filtrar" a melhor ferramenta de acordo com a técnica.

Exemplo de como o site da Tigre traz as informações sobre o pincel.

Conservação
"Vou deixar aqui, depois eu lavo" - Evite pensar assim! Usou, lavou! Claro que enquanto você está "no processo de utilização", dá pra quebrar o galho limpando num recipiente com água, mas quando for guardar seus brinquedos de volta no lugar deles, limpe as cerdas com água corrente e sabão. Algumas pessoas passam um pouco de creme hidratante ou até mesmo creme para pentear nas cerdas, para que fiquem macias. Só que é preciso ter cuidado para a química presente nesses produtos não danificar o pelo do seu pincel (no caso de cerdas naturais).

Espero ter ajudado você, que sempre entra na papelaria procurando um pincel e nunca sai com um na sacola.

Até a próxima! o/

6 comentários:

  1. Pincel é uma coisinha muito magica, e merece toda a atenção... alguns ainda mais porque são mais caros, e se bem cuidados duram horrores!
    Beijos Nane!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pincel é mágico mesmo! Eu tinha 3 e achava que era muito, agora devo ter mais de 10 e não sei de onde eles brotaram! Hahahaha Quando compro, procuro pegar aqueles que vem com um tubinho plástico protegendo as cerdas e evito perde-lo.

      Beijos, Débora!

      Excluir
  2. Adorei o post! <3 Pelo que li, não estou tão mal, já tenho alguns pincéis com pelo de marta. Mas vou dar uma pesquisada nesses com pelo de boi (com esses nomes, parece q estamos fazendo bruxaria, sei lá xD) Eu admito q de vez em quando esqueço de lavar os pincéis T-T

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Mari!
      Já falei de outras vezes sobre os pincéis de pelo de marta, né, mas quase não falo sobre o de pelo de orelha-de-boi. xD E parece mesmo bruxaria, porque se não bastasse ser pelo de boi, é de um lugar específico: orelha!! Hahahahha! Dá até pra desenhar esse tema, heim?

      Não se esqueça mais de lavar seus preciosos pincéis. T^T

      Excluir
  3. Pois é! Post super útil pra quem não costuma dar a mínima pra que tipo de pincel usar.

    Eu costumo separar os meus em "pra nanquim e "pra aquarela". Só faço essa separação porque é comum no meio do trabalho secar um pouco de nanquim bem perto da parte de ferro do pincel, e depois isso acaba prejudicando na hora de pintar com outra coisa, porque sai manchando tudo!

    Mas apesar de saber que os pincéis de pelos de animais são mais aconselháveis, nunca me importei de usar os sintéticos. Acho que só vou perceber a diferença no dia em que tiver muito acostumada a pintar com meus sintéticos e pegar um pincel profissional que seja TOP de linha, sabe?

    Eu sempre tive curiosidade de saber pra que servem aqueles pincéis assim que tem aquele formato assim \ /, sabe? Lembro que uma vez você comentou de ser pra fazer árvore ou algo do tipo, mas nunca vi ninguém usando. :)

    Bacana o post, Nanika! Obrigada por compartilhar sua experiência! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu, Suco!
      Eu também não ligo de usar os sintéticos não, mas sinto bastante diferença de um tipo para o outro, dependendo da técnica que estou usando. Sobre quando seu pincel ficar sujo de nanquim até naquela partezinha de metal, tem um truque pra limpar: faz uma "conchinha" com uma das mãos e pinga detergente no meio, aí esfrega o pincel lá até soltar a tinta (vai virar uma espuma preta horrível), depois lava com água corrente. =]

      Foi minha tia quem disse que aquele pincel da ponta assim l\ /l serve pra fazer folhas de árvore. Vai ver ele serve pra outras coisas também, mas nunca pesquisei a respeito.

      Volte sempre, linda! o/

      Excluir